TÍTULO:

MODELO PROGNÓSTICO PARA PACIENTES INTERNADOS EM TERAPIA SEMI-INTENSIVA PÓS-OPERATÓRIA.

AUTORES:

José Rodolfo Rocco
Patricia Rieken Macêdo Rocco
Cid Marcos Nascimento David
Rosângela Noé.

AUTOR PRINCIPAL:

Prof. José Rodolfo Rocco, MD, PhD
Centro de Terapia Intensiva
Hospital Universitário Clementino Fraga Filho
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Av. Brigadeiro Trompowsky s/n 13 andar
Ilha do Fundão - CEP 21949-900
Rio de Janeiro - RJ - Brazil
TELEFONES: +5521 3859532 / +5521 4317301
FAX: +5521 3254579
E-mail: jrrocco@openlink.com.br
 
 

PATROCINADORES: Sem patrocínio
 
 

MODELO PROGNÓSTICO PARA PACIENTES INTERNADOS EM TERAPIA SEMI-INTENSIVA PÓS-OPERATÓRIA EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO


 

OBJETIVOS

  1. AVALIAR O DESEMPENHO DO MODELO APACHE II EM PACIENTES INTERNADOS EM UNIDADE DE TERAPIA SEMI-INTENSIVA PÓS-OPERATÓRIA
  2. DESENVOLVER MODELO PROGNÓSTICO ESPECÍFICO
  3. VALIDAR O MODELO PROGNÓSTICO CRIADO
  4. COMPARAR SEU DESEMPENHO COM O MODELO APACHE II
LOCAL DO ESTUDO

ENFERMARIA DE CUIDADOS INTENSIVOS DO SERVIÇO DE CIRURGIA GERAL DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (ECI-HUCFF/UFRJ) - RIO DE JANEIRO - BRAZIL

CARACTERÍSTICAS:

4 LEITOS, MONITORIZAÇÃO ECG CONTÍNUA, 2 BOMBAS INFUSORAS
2 OXÍMETROS, PRÓTESES VENTILATÓRIAS BIRD MARK 7 E OHIO CCV2
ENFERMAGEM PRÓPRIA, RESIDENTES (1O ANO) DE CIRURGIA GERAL PLANTONISTAS
 
 


ANÁLISE ESTATÍSTICA UNIVARIADA
450 PACIENTES
 
 
Característica
Total
Altas
Óbitos
 
Sexo 

feminino

216 (48%)
163 
53 
 
masculino
234 (52%)
177
57
p=0,965
Pós-operatório imediato 

sim

393 (87,3%) 
309
84
 
não
57 (12,7%)
31
26
p<0,001
Presença de neoplasia 

sim

209 (44,7%)
156
45
 
não
249 (55,3%)
184
65
p=0,362
Presença de infecção 
sim 
233 (51,8%)
142
91
 
não
217 (48,2%)
198
19
p<0,001
Transferidos p/ o CTI 

sim

54 (12%)
24
30
 
não
396 (88%)
316
80
p<0,001
Uso de prótese ventilatória sim 
98 (21,8%)
19
79
 
não
352 (78,2%)
321
31
p<0,001
Idade (anos) *
58,2 ± 16,7
56,2 ± 16,6
64,3 ± 15,9
p<0,001
Pontos APACHE II *
16,12 ± 8,96 
12,95 ± 6,36
25,90 ± 8,77
p<0,001
Probabilidade de óbito do escore APACHE II (%) *
30,15 ± 27,25
20,30 ± 19,22
60,60 ± 25,93
p<0,001
Dias de internação na ECI* 
3,1 ± 4,1
2,6 ± 3,0
4,7 ± 6,2
p<0,001

* médias ± desvio padrão

COMPARAÇÃO DO GRUPO TOTAL (450 PACIENTES) X GRUPO FORMULAÇÃO (300 PACIENTES)
Característica**
Grupo Total 

(n=450)

Grupo Formulação (n=300)
Sexo 

feminino

216 (48%)
153 (51%) 
masculino
234 (52%)
147 (49%)
Pós-operatório imediato 

sim

393 (87,3%) 
269 (89,7%)
não
57 (12,7%)
31 (10,3%)
Presença de neoplasia 

sim

209 (44,7%)
133 (44,3%)
não
249 (55,3%)
167 (55,7%)
Presença de infecção 
sim 
233 (51,8%)
161 (53,7%)
não
217 (48,2%)
139 (46,3%)
Transferidos p/ o CTI 

sim

54 (12%)
39 (13%)
não
396 (88%)
261 (87%)
Uso de Prótese ventilatória

sim 

98 (21,8%)
70 (23,3%)
não
352 (78,2%)
230 (76,7%)
Idade (anos) *
58,2 ± 16,7
58,8 ± 16,2
Pontos APACHE II *
16,12 ± 8,96 
16,44 ± 8,96
Probabilidade de óbito do escore APACHE II (%) *
30,15 ± 27,25
31,45 ± 27,97
Dias de internação na ECI *
3,1 ± 4,1
3,3 ± 4,3

* médias ± desvio padrão

**p=NS para comparação de todas as características entre os dois grupos

VARIÁVEIS E RESPECTIVOS COEFICIENTES SELECIONADOS POR RLM NO GRUPO FORMULAÇÃO
 
 
Variável
Parâmetro estimado
Erro Padrão
Qui-quadrado Wald
 
Constante
-5,9499
0,9516
39,0977
p<0,0001
Idade
0,0405
0,0130
9,6342
p=0,0019
APACHE II (%)
0,0389
0,00805
23,3144
p<0,0001
Prótese
2,8378
0,4609
37,9172
p<0,0001

 

COMPARAÇÃO ENTRE AS ÁREAS SOB A CURVA ROC DOS MODELOS ECI E APACHE II OBTIDOS DOS MESMOS PACIENTES
 
 
 
Área
Erro padrão
z
 
ECI -formulação
0,9214
0,0244
   
APACHE II - formulação
0,8832
0,0274
1,56
p=0,059
         
ECI - validação
0,9278
0,0283
   
APACHE II - validação
0,8849
0,0311
1,75
p=0,04
         
ECI - total
0,9243
0,0227
   
APACHE II - total
0,8845
0,0287
1,62
p=0,052

 
 


 

CONTINUAÇÃO


 

CONTINUAÇÃO

Estatística goodness-of-fit do modelo ECI-grupo formulação
 
 
intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
164
165,49
9
7,50
>0,1-0,2
26
24,94
3
4,056
>0,2-0,3
10
8,84
2
3,15
>0,3-0,4
5
3,87
1
2,12
>0,4-0,5
4
5,64
5
4,34
>0,5-0,6
5
4,38
5
5,61
>0,6-0,7
1
2,10
6
3,89
>0,7-0,8
2
2,01
7
6,98
>0,8-0,9
2
1,72
9
9,27
>0,9-1,0
2
1,94
32
32,05
TOTAL = 
221
220,93
79
78,96

H=4,63; graus de liberdade=8; p=0,79

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito

obs: um baixo valor de H, com conseqüente alto valor de p, significa bom ajuste, rejeitando-se a hipótese de desigualdade e aceitando-se a igualdade entre os dados observados e o esperados. Tal raciocínio é válido para as próximas cinco tabelas.

Estatística goodness-of-fit do modelo ECI-grupo validação
 
 
intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
89
88,82
4
4,17
>0,1-0,2
14
13,64
2
2,35
>0,2-0,3
7
6,85
2
2,14
>0,3-0,4
6
5,90
3
3,09
>0,4-0,7
2
2,20
3
2,79
>0,7-0,9
1
1,26
5
4,73
>0,9-1,0
0
0,607
12
11,39
TOTAL =
119
119,27
31
30,66

C=0,82; graus de liberdade=7; p=0,99

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito
 
 
 
 

Estatística goodness-of-fit do modelo ECI-grupo total
 
 
Intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
253
254,32
13
11,67
>0,1-0,2
40
38,58
5
6,41
>0,2-0,3
17
15,70
4
5,29
>0,3-0,4
12
9,78
3
5,21
>0,4-0,5
4
6,17
7
4,82
>0,5-0,6
6
5,70
7
7,29
>0,6-0,7
1
2,45
6
4,54
>0,7-0,8
3
2,81
9
9,18
>0,8-0,9
2
2,28
13
12,71
>0,9-1,0
2
2,44
43
42,55
TOTAL =
340
340,23
110
109,67

H=5,63; graus de liberdade=10; p=0,84

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito
 


Estatística goodness-of-fit do modelo APACHE II-grupo formulação
 
 
intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
90
87.06
2
4,94
>0,1-0,2
48
44,76
4
6,90
>0,2-0,3
32
29,46
7
9,53
>0,3-0,4
14
13,55
7
6,67
>0,4-0,5
9
9,45
8
6,66
>0,5-0,6
11
6,61
4
8,38
>0,6-0,7
8
8,23
6
5,08
>0,7-0,8
8
6,95
19
20,04
>0,8-0,9
0
2,13
13
10,02
>0,9-1,0
1
0,53
9
7,53
TOTAL = 
221
208,77
79
85,79

H=8,21; graus de liberdade=8; p=0,41

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito

Estatística goodness-of-fit do modelo APACHE II-grupo validação
 
 
intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
49
47,23
1
2,76
>0,1-0,2
28
25,93
2
4,07
>0,2-0,3
12
12,15
4
3,85
>0,3-0,4
13
9,14
1
4,85
>0,4-0,5
9
5,47
3
6,52
>0,5-0,6
5
4,38
3
3,36
>0,6-0,7
2
1,67
3
3,32
>0,7-0,8
1
1,29
4
3,70
>0,8-0,9
0
1,05
7
5,94
>0,9-1,0
0
0,07
3
2,98
TOTAL =
119
108,41
31
41,65

H=12,59; graus de liberdade=10; p=0,24

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito

Estatística goodness-of-fit do modelo APACHE II-grupo total
intervalos*
Altas
Óbitos
 
observados
esperados
observados
esperados
0,0-0,1
139
134,29
3
7,70
>0,1-0,2
76
70,69
6
10,84
>0,2-0,3
44
41,61
11
13,38
>0,3-0,4
27
22,69
8
11,18
>0,4-0,5
18
15,97
11
11,69
>0,5-0,6
16
10,23
7
11,73
>0,6-0,7
10
6,75
9
11,56
>0,7-0,8
9
8,24
23
23,75
>0,8-0,9
0
3,18
20
15,07
>0,9-1,0
1
0,61
12
10,46
TOTAL = 
340
314,30
110
127,39

H=13,45; graus de liberdade=10; p=0,19

* - intervalos a cada 10% de predição de probabilidade de óbito
 


COMPARAÇÕES DAS DISCREPÂNCIAS NA CLASSIFICAÇÃO ENTRE OS MODELOS ECI E APACHE II

ECI x APACHE II Pacientes com alta Pacientes com óbito
 
   
Modelo ECI
Modelo ECI
   
preditos a viver
preditos a morrer
total
preditos a viver
preditos a morrer
total
               
Modelo APACHE II
preditos a viver
297
0
297
9
25
34
 
preditos a morrer
39
4
43
1
75
76
 
total
336
4
340
10
100
110
               
               
 
c2 McNemar=34,225
c2 McNemar=20,346
 
      p<0,001     p<0,001  

 

Correlação entre as probabilidades de óbito geradas pelos modelos ECI e APACHE II. Os pacientes que obtiveram alta hospitalar são representados por círculos cheios e os que faleceram por círculos vazios. Os coeficientes de correlação de Pearson para as altas e óbitos são respectivamente de r=0,67 e r=0,71. Observa-se amplas diferenças nas predições: pacientes preditos a sobreviver por um modelo são preditos a falecer pelo outro e vice-versa. Nos extremos de risco existe melhor correlação entre os modelos.